Minna Suki!

Terça, 13 Agosto 2013 11:28

Porque meus animes favoritos não tem continuações? + Mercado de anime

Escrito por 
Avalie este item
(11 votos)

Muitos provavelmente já devem ter reclamado e culpado o anime X em não possuir a continuação aos estúdios e os otakus. Mas de fato eles são principais responsáveis? Tentarei expor de maneira fácil como esse mercado funciona.

Antes de mais nada, vou restringir as coisas relatado neste artigo aqui apenas sobre os animes de madrugada, os que passam em horário nobre ou de manhã, funciona de forma meio diferente.

Muitos já devem ter perguntado, mesmo que o estúdio x ou y fizer animes ruins um atrás da outra e que esses simplesmente não vendam, como que os estúdios conseguem sobreviver? Na verdade eles nunca tem prejuizo em produzir os animes. E também mesmo que venda bastante como Bakemonogatari (entorno de 70 mil cópias por volume), não serão os estúdios que ficarão com maior parte do lucro. Sim você já deve ter percebido, não são estúdios que decidem se vai produzir anime x ou y e muito menos são eles que bancam o custo de produção, mas sim as produtoras que bancam os animes que decidem se vai produzir anime x ou y.

Mas as produtoras não são todos iguais, eles diferem uma de outra e tem visão bastante diferenciada como eu já havia postado aqui.

Vou copiar aqui o post que escrevi sobre a produtora Kadokawa e Aniplex, só citando esses dois dá para ter alguma noção sobre diferenças entre visão de produtoras.

Kadokawa --> Editora de livros e revista
Aniplex --> Subsidiária da Sony Music Entertainment focada em anime, no qual, este possuí o seu
próprio estúdio o A-1 Pictures

Ambas são produtoras com visão totalmente diferentes.
Kadokawa adaptam as obras publicadas na sua editora visando aumento de vendas de livros (mangá, LN etc...) etc.. Ou seja, para Kadokawa não é tão interessante fazer continuações, é bem mais interessante para eles adaptarem maior número de títulos, já que vão ter mais títulos com boom na venda. Não que Kadokawa não vise lucro de BD e DVD, sim eles visam também, se tiver venda bem absurda na primeira temporada lá para 20 mil cópias com certeza Kadokawa não será tão burra em não fazer a continuações.

Aniplex: Esse visa venda de BD, DVD e CD de música. Contratam vários estúdios para fazer o anime, exceto alguns estúdios como Kyoto Animation (KyoAni) que tem contrato com a Kadokawa e PonyCanyon, mesmo tendo seu próprio estúdio. Adaptam vasto gama de obras desde obra original até VN. Vendeu bem, a política é fazer continuações. Não é 100% das vezes que a produtora é Aniplex que a parte de música ficará na mão de Sony Music, mas muitas vezes sim, então também a venda de Single de OP e ED também ajuda a produtora como todo.

Lógico o que postei ai acima é apenas um exemplo. Tem "outras" produtoras com visão totalmente diferentes do que foram citados acima como Good Smile (produz figure), Bushiroad (produz card game) etc. Vou citar mais algumas produtoras e maioria deles vocês já devem ter ouvidos: Warner Home Video, Geneon Universal Entertainment, Genco, Flying Dog (jvc music), Starchild (king record), Toho Animation, Movic, Avex Entertainment etc.

Além de estarem envolvidos diretamente nas continuaçãoes, a quantidade de dinheiro envolvidos muda em relação a cada produtora, para ter a ideia a prdutora Kadokawa Shoten está empregando animes com 10 episódios como em Mondaiji tachi ga Isekai kara Kuru sodesuyo?, Fate/Kaleid liner Prisma☆Illya, Blood Lad etc. tudo isso para reduzir o custo, já que objetivo principal nesses casos é mais para divulgação das suas obras do que tentar retorno com venda de BD e DVDs.

Bem, sabendo que a venda de BD e DVDs são importantes mas não necessariamente crucial para ter continuações, vamos conhecer o que de fato vendem do que não vendem.

A tendência de venda que postei no fórum em março de 2012 pessoalmente ainda continua sendo válido, então vou copiar pra cá.

- Animes de madrugada que são de pancadaria, violento e de horror tende vender pouco.
- Animes shoujo ou josei que não tem apelo fujoshi tende vender pouco.
- Animes de detetive tende vender pouco.
- Animes, no qual, a obra original sofreu "rape" tende vender pouco a não ser que o "rape" seja feito no sentido de tornar slice.
- Animes tipo Haganai, OreImo tende vender bem.
- Animes com elementos moe com as personagens do gosto otakus tende vender bem: Ex. IS, Bakemonogarari...
- Animes de slice tende vender bem, quando tem um bom ritimo e personagens moe. Ex: K-ON!, Hidamari, Ika Musume, Working!!...
- Animes de gosto fujoshi tende vender bem.
- Animes decentemente adaptado tende vender bem: Persona 4, Horaizon, Fate/Zero...
- Animes com temática séria tende vender pouco.

Temática séria acaba não vendendo bem porque muitos os otakus buscam os animes como fuga da realidade, sim os animes para eles é para descontrair e não para deixarem mais estressados. Muitos dos quem assistem animes acabam não assistindo doramas e filmes, justamente porque são sérias. Isso faz sentindo visto que estão inundado com doramas que envolvem, doenças, crimes, traições etc. Os otakus de alguma forma ditam esse mercado de anime, eles gastam fortuna com isso. Cada volume de BD de edição limitada custam entorno de 160 reais para cima, se o anime é de 1 cour (entorno de 12 eps) seria 160 reais x 6 volumes (2 eps em cada volume) que dá quase mil reais em uma série de 12 eps.

Rape que foi citado acima não tem sentido denotativo, mas sim conotativo. Bastante utilizados entre os japoneses para dizer que anime seguiu rumo totalmente diferente da obra baseada (mangá, LN, VN etc.). Isso dá repercusão bastante negativa, porque fã base da obra original vão ficar bastante revoltado com as mudanças, já que quase 99,9% das vezes, as mudanças são para piores do que melhores. Isso faz todo sentido, já que não tem a pessoa que melhor conhece a obra do que o próprio autor da obra.

E "Rape" também acaba com as chances de continuações, além de "rape" em sí reduzir a venda de BD/DVD, fica difícil de fazer a continuação após o "Rape", pois a obra original e anime seguiu rumo diferente, no qual o anime acaba ficando sem base para adaptar, porque já é praticamente outra obra.

Agora que já temos noção da tendência de venda e o custo para coleção de único anime, vamos tentar entender quanto precisa vender para produtora consiga o retorno do que foi investido.

Mas antes disso vou copiar um trecho de outro artigo.

Falando em venda no Japão existe tal de Manabi line. Traduzindo a linha Manabi. Ok!, mas o que isso significa. Significa venda equivalente a 2.899 cópias. Entendido, mas de onde veio esse tal de Manabi line. A resposta é veio da quantidade de DVD que o anime a Gakuen Utopia Manabi Straight! que foi no ar em 2007 conseguiu vender. O fato é que esse anime vendeu bem menos que esperado (a primeira temporada de Hidamari Sketch que foi no ar na mesma época vendeu muito mais e está preste a receber a quarta temporada), alías Manabi line é uma forma de ironia. E sem contar que Manabi vem do verbo Manabu que significa aprender. Então dá duplo sentido, podendo ser interpretado também como linha de aprendizagem. Aqueles que estão abaixo dessa linha falta algo para aprender e que está acima é um mestre em conhecimento, por exemplo. E sem contar que como Gakuen Utopia Manabi Straight! vendeu cerca de 3 mil cópias, isso também influenciou na criação de tal de Manabi line. Isso porque um anime de custo razoável ou baixo, consegue ficar em azul se vender acima de 3 mil cópias e vermelho se caso vender menos. Ou seja, é uma linha dividindo as obras em prejuízo ou com lucros. No entanto, em vez de falar a obra vendeu acima de 3 mil cópias, é só dizer que a obra passou a linha manabi. Simples não? Lógico aqueles que normalmente recebem continuações são obras que dá lucro e não somente que deixa em azul, no entanto, para receber continuações normalmente tem que vender acima de 5 mil cópias. Só para efeito de comparação, uma obra de sucesso como no caso de Puella Magi Madoka Magica vendeu cerca de 70 mil cópias por volume.

O trecho acima é uma explicação bem por cima. Tentarei detalhar um pouco mais baseando no artigo da ANN.

No artigo acima fala que cada ep custa entorno de 100 ~ 300 mil dólares por episódios. Vamos fazer algumas contas. Supondo que um volume de BD custe entorno de 70 dólares e deste 70 dólares o 10 dólares seja custo de mídia, cartaz etc. Então cada BD teria lucro de 60 dólares. Vendendo entorno de 3 mil cópias, o lucro seria de 180 mil dólares. Mas como cada BD vem com dois episódios, teriamos que dividir esse número em 2, ou seja lucro de cada ep seria entorno de 90 mil dólares. No caso de anime de 2 cours (entorno de 24 episódios) a situação só tende a piorar porque há vários animes que vem com 3 episódios, então teriamos que dividir esse número em 3, dando apenas 60 mil dólares por episódio. Ou seja, só consegue bancar anime de baixo custo isso se juntar também a venda de single (OP, ED etc.), do aumento da venda de obra original (Mangá, LN, VN etc.), licenciameto de marca (brinquedos, camisetas etc.) e também o lincenciamento para exterior.

Agora vamos ver no caso de anime de grande sucesso como no caso de Madoka. No total tivemos 6 volumes, cada volume contendo 2 episódios. A média ficou entorno de 70 mil cópias por volume. Ou seja, a cada ep tivemos retorno de 2 milhões, sabendo que Madoka é produção de custo baixo, a cada ep custava entorno de 8 milhões de iene, isso dá 100 mil dólares. Nesse caso a produtora viu 100 míl dólares tornando 2 milhões de dólares.

Mas as coisas não param por ai. Foi noticiado que só com venda de "goods" (produtos relacionados (brinquedos etc.)) de Madoka, que gera licenciamento de marca etc., já gerou nada menos que 400 milhões de dólares. Lógico a popularidade está diretamente relacionado com venda de "goods", o anime Saki está recebendo várias continuações, pois a venda de "goods" está indo muito bem, pois se depender apenas de venda de BD e DVDs talvez nem teria a continuação.

Atualmente o licenciamento para exterior, principalmente via streaming (internet) como Crunchyroll está em alta. Pena que não tenho nenhum dado de quanto Crunchyroll paga para cada anime que ela licencia. Mas não acredito que seja valor tão alto comparando com liceciamento para TV.

Agora que sabemos que a venda de "goods" (produtos relacionados (brinquedos etc.)) també ajuda para ter continuações de animes, vamos tentar entender um pouco mais de stock de obra original.

Stock de obra original significa que quantos volumes tem disponíveis para adaptação. Vamos dar alguns exemplos. Começando com Yahari Ore no Seishun Love Come wa Machigatteiru, atualmente tem 7 volumes de LNs, no qual na adaptação para anime foi utilizado até o volume 6, consequentemente sobrou um volume apenas. Foi adaptação corrida, seria ideal que não passe de 4 volumes no caso de adaptação de LN em anime de um cour (entorno de 12 episódios). Simplificando sobrou um volume de stock. O primeiro volume do BD/DVD vendeu consideravelmente bem, passou de 10 mil cópias. Quer dizer, o fator limitante no caso desse exemplo para ter continuação é falta de stock da obra original. Não é falta de vontade do estúdio ou até da produtora, mas não tem o que adaptar mais por enquanto. Já no caso de Hataraku Maou-sama esse tem 8 volumes de LN e o primeiro volume de BD/DVD vendeu cerca de 13 mil cópias. E apenas foi utilizado 2 volumes. Quer dizer temos 6 volumes de stock. Continuação é possível inclusive em curto prazo. Como anime vendeu bem tem alta chances de continuação ser anunciada em breve.

Resumo o artigo:

- Produtora que visa aumento da obra original como Kadokawa prefere não fazer muitas continuações.
- Produtora como Aniplex é oposto, tem politica de vendeu bem, então fazer a continuação.
- Para ter continuação desejavel que todos os volumes de um anime venda mais que 7 mil cópias de BD + DVD.
- Rape de obra original (não seguir a obra original), reduz drasticamente a continuação, pois reduz a venda e dificulta a produção de continuação, por que acaba não conseguindo mais seguir a obra original.
- Venda de "goods" (prdoutos relacionados (camisetas, brinquedos etc...)) e licenciamento de marca, pode ajudar o anime a ter continiação mesmo a venda de BD + DVD não for satisfatoria.
- E necessário que obra original tenha stock para poder fazer a continuação. Pouco stock de obra original adia a continuação e isto pode esfriar animo de otakus. E caso a continuação e feita sem stock aumenta e muito a chance de rape que este pode reduzir novas temporadas.

Ler 6062 vezes Última modificação em Quarta, 18 Dezembro 2013 09:47
comments powered by Disqus

Você está aqui: Home Anime Porque meus animes favoritos não tem continuações? + Mercado de anime